quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

My way



Eu sou uma criança, só quero brincar... Tô cansada dessas responsabilidades de gente grande. Não quero ser prejudicada por ser inocente, quero continuar a ser como sempre fui.


Eu preciso continuar a acreditar nas pessoas, num mundo melhor, preciso continuar a ver beleza nas besteiras do dia-a-dia, eu quero ser legal no sentido mais puro da palavra, não quero que me olhem com segundas intenções, nem que achem que eu faço as coisas dessa maneira.

Não estou dando mole para ninguém, eu apenas sou assim... Quero continuar a ser amável e meiga e não quero que a vida me endureça, quero ter o coração mole e não ter que precisar construir muros e mais muros todos os dias.

Eu quero poder correr na praia sem me importar se estão olhando para minhas celulites ou para minha loucura de tentar ser criança, quero dividir um sorvete, comer pipoca e assistir um filme com os amigos. Quero pic-nic.

Não quero nutrir sentimentos que fazem mal a mim, quero a simples complexidade de uma rosa desabrochando num dia de primavera, quero tomar banho de chuva e correr na rua. Quero abraços apertados e sem fim. Quero olhares conhecidos e sorrisos queridos...

Não quero pressa, quero ver o dia amanhecer na minha cama, dormir até tarde e tomar um banho bem demorado, comer frutas e jogar video-game. Quero comida caseira, feita com amor e dedicação de mãe. Quero achar graça numa borboleta voando e fazer gestos de alegria.

Eu quero simplesmente abrir os braços e sentir o vento no meu corpo suado. Quero deitar na grama e olhar o céu azul. Quero sentir areia nos pés.

Que importa a idade que o meu corpo tem? Eu só quero sentir o mundo de uma forma diferente...
 
M.D.
João Pessoa, 16/12/09
21:50

3 Pensaram a respeito:

Naiara disse...

Nossa adorei esse texto, acho que cada uma de nós temos um muito de criança, eu pelo menos nem se fala, não tenho pudor e nem vergonha de ser tão criança,nas horas de bico, de bagunça, de banho de chuva ...seja sempre assim, criança.

serena samy disse...

Às vezes é preciso que tenhamos olhos de crianças para podermos enxergar a vida como se fosse a primeira vez, só assim poderemos achar graça na simplicidade do cotidiano e mais... se encantar pelos dias aparentemente monótonos. O brilho da vida está por toda parte, cabe a nós limparmos nossos olhos para percebermos tamanha grandeza!

Marília Domingues disse...

E para quem consegue se sentir desta forma, como criança, cabe a responsabilidade de se conservar assim... só com os olhos ingênuos e sonhadores de uma criança podemos superar a complexidade monótona do dia-a-dia, das decepções e mágoas que nos fazem endurecer e esquecer quem realmente somos..