quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Não ao amor!


Não adianta me perguntar sobre o amor. Sempre vou responder da mesma forma: é um discurso, uma crença (em si mesmo ou em outro). É uma estratégia para vender sonho, história, uma realidade que não passa de fantasia. Amor é quando você deixa de se ver e passa a se projetar na vida de outra pessoa (erro). É quando você deixa de se respeitar para estar desesperadamente súdito às vontades alheias.


E ainda, o que é essa droga de amor? Sim. É uma droga mesmo. Seus efeitos são tão parecidos quanto os da cocaína. Então porque o amor é legalizado? Deixa as pessoas em outro mundo, vicia e ainda tem fortes efeitos colaterais quando se passa a usar muito. O fato é que as pessoas são tão dependentes que nem percebem isso. Não se enxergam, apenas se omitem. Sim, isso é amor.

As únicas histórias que reconheço, duradouras e puras, essas sim deveriam mudar de nome. Não é o bombom que passa na propaganda, muito menos aquele beijo do filme. São vidas reais, afetos de magnitude inexplicável, merecem outro nome. Amor é bandido, traiçoeiro, engana os olhos, disfarça os sentidos. Amor é coisa pra burro, que ainda não conhece as armadilhas da vida e das pessoas.

E o que fazer? Se amor é tudo isso... O mínimo a se fazer é aproveitar enquanto temos sabedoria. Por que é preciso estar atento. Reconhecer quando isso chega, pra saber exatamente a forma como se expulsa. Amor é isso. Uma coisa que vem, mas que pode ir embora com muito mais facilidade. Se amor é crença, decisão, então o que devemos fazer é começar a crescer e deixar de acreditar nesses lindos contos de fada, que insistimos em achar que fazem parte da vida real.
 
Pra finalizar, uma notícia que me deixou verdadeiramente feliz:
 
Pesquisas mostram que vacina contra o amor é possível
 
Este texto não é meu, encontrei-o no blog O beijo do Escorpião que pertence ao Jo Fagner a quem eu sigo no twitter, ele tem umas sacadas geniais a respeito de um monte de coisas indico tanto o blog quanto o twitter dele.
 
Quanto ao texto em si, não preciso de nenhum acréscimo de minha parte, não preciso fazer comentário algum, ele já diz tudo e pra mim basta!

1 Pensaram a respeito:

Erika Georgia. disse...

"O nosso amor a gente inventa pra se distrair, e quando acaba a gente pensa que ele nunca existiu..."