sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O Mundo Vai Acabar 2


O fim do mundo está realmente muito perto, e vai ser exatamente como eu imaginava:
TOMADO POR ZUMBIS

Até agora a única epidemia que deu um pouquinho de medo foi a primeira do H1N1, mas o vírus terminou se mostrando pouco letal, ou pouco contagioso, whatever...

Mas agora é diferente! Agora estamos diante de uma situação que já foi alertada no filme "Eu sou a lenda". Onde a cura do Câncer termina sendo a causadora da dizimação da humanidade.

Tudo isso porque cientistas criaram a partir de um vírus uma suposta cura para a doença que mais assola a sociedade hoje em dia. Contudo, algo deu errado e o que parecia um milagre voltou-se contra as pessoas fazendo-as terem reações extremamente adversas e se transformarem em seres com o mínimo de capacidade mental, deformados e que não suportam a luz do sol.


Pois bem, a ficção começa a se tornar realidade... Cientistas descobriram que um vírus usado para combater a varíola, modificado geneticamente, ataca células cancerígenas...


Vírus da vacina contra varíola ataca células cancerígenas



Vírus oncolítico
Cientistas descobriram que um vírus já usado na vacina contra a varíola pode ser modificado geneticamente para combater o câncer.
Os primeiros testes com a linhagem JX-594 do vírusvaccinia foram feitos com sucesso por uma equipe internacional, liderada por médicos da Universidade de Otawa, no Canadá.
Embora estudos sobre vírus para atacar apenas células cancerosas sejam feitos há bastante tempo, até agora as terapêuticas desenvolvidas aplicavam o vírus sobre o tumor.
Neste novo estudo, o vírus foi injetado diretamente na corrente sanguínea, o que torna o tratamento muito menos invasivo.
Resultados animadores
Os estudos clínicos iniciais foram feitos em 23 pacientes, que receberam dosagens diferentes do JX-594.
Todos os pacientes tinham cânceres com alto nível de metástase, ou seja, com grande potencial de espalhamento por todo o corpo. Hoje praticamente não há terapias capazes de tratar esses pacientes.
Os pacientes foram divididos em grupos, recebendo diferentes dosagens do vírus.
Os melhores resultados foram obtidos no grupo de oito pessoas que receberam uma alta dosagem: o tratamento teve resultados positivos em sete delas.
Em outro grupo de pacientes, com dosagem menor, o vírus conseguiu retardar o crescimento do tumor, mas não sua eliminação.
Vírus pelo sangue
Segundo os pesquisadores, o vírus modificado atacou apenas as células cancerígenas após sua introdução no organismo pela corrente sanguínea.
Essa constatação é essencial com vistas à segurança do tratamento, uma vez que, sendo vírus, há o risco de que a terapêutica para o câncer gere uma nova patologia.
Outro grande ganho da pesquisa é a aplicação do vírus modificado por meio de uma injeção.
"A administração intravenosa do vírus é crucial para o tratamento do câncer porque permite
atacar tumores espalhados pelo corpo," explicou o Dr. John Bell, líder da pesquisa.
Diário da Saúde



É o começo do fim... 2012 está chegando!

1 Pensaram a respeito:

Mônica de Andrade disse...

Maaa!!!
Tenho meeedooo!